Você sabia que os pneus dos carros precisam de um período de amaciamento? Sim, todas as montadoras recomendam uma quilometragem inicial em que é necessário ter mais cuidado. A regra vale tanto para carros zero quilômetro ou para quando o motorista substituir pneus usados por novos.
Milton Araújo, gerente de atendimento ao cliente da Continental Pneus, explica que por serem componentes de atuação dinâmica, os pneus (bem como os freios e a embreagem), necessitam de um tempo inicial de uso para que possam atingir o melhor desempenho projetado. 
“Esse tempo foi traduzido para 500 quilômetros por algumas montadoras, como consenso, para se atingir a faixa de melhor desempenho dos componentes”, afirma.
No caso dos pneus, diz Araújo, uma fina camada do desmoldante - utilizado na retirada do molde vulcanizador na fase final do processo de produção - faz com que eles necessitem de um pequeno "lixamento" em serviço para atingirem a faixa de aderência projetada. “Por isso, recomenda-se cautela ao dirigir com pneus novos nos primeiros 300 quilômetros, arredondados para 500 km por algumas montadoras”. O motorista deve evitar, principalmente, altas velocidades nas curvas e em pistas alagadas.
Prazo de troca
Os pneus dos carros devem ser revisados a cada 10 mil quilômetros. E devem ser trocados quando o sulco (o friso) tiver menos de 1,6 milímetros de profundidade. Esse limite pode ser observado com um indicador dentro do friso. Se esse indicador estiver na mesma altura da banda de rodagem, o automóvel pode ser multado.
Os especialistas também recomendam o rodízio dos pneus dianteiros com os traseiros a cada 10 mil quilômetros para evitar o desgaste desproporcional, já que os da frente costumam perder mais borracha do que os de trás.

Canarinho Press
Terra